Nasci Ricardo Nobre, no dia 1º de setembro de 1971, na Casa de Portugal, na Rua do Bispo, bairro do Rio Comprido, Rio de Janeiro. Era dono de uma fabulosa miopia que me fez usar óculos a partir da idade de um ano. Sempre gostei de TV e cinema. Minhas brincadeiras com playmobil e Falcon eram sempre super produções cinematográficas. Aos 11 anos vi no SBT o making of de O Império Contra Ataca. Ali eu descobri que precisava fazer filmes. E realmente os fiz. Fotografando meus Falcons com filmes para slides, realizei quatro “filmes” que tinham trilha sonora e tudo.

Aos 17, após tomar um toco no vestibular para cinema da UFF, entrei no curso de comunicação da Universidade Estácio de Sá (na época ainda Faculdades Integradas) em 1989. O campus fica ali na Rua do Bispo, exatamente em frente ao prédio onde nasci. Ali conheci Eddie Van Feu. Dois anos mais tarde, ela me apresentou aos seus amigos do curso de desenho e quadrinhos. Fui apresentado ao RPG. Enquanto Eddie enveredou para o jornalismo, eu escolhi publicidade. Nos formamos em dezembro de 1992.

Passei um ano de extraordinário ócio. Em junho de 1994, comecei como operador de vídeo em um estúdio em Laranjeiras, a Disa Vídeo. Em 1995, os amigos do RPG começaram um fanzine, o Olha a Frente! que durou sete edições. Em junho de 1996, Olha A Frente! saiu como uma revista pela Editora Escala, durando 5 edições. Em novembro daquele ano, larguei o emprego no estúdio para me dedicar à Equipe Frente! que agora tinha mais trabalhos com a Escala.

Desde então, realizamos todo o tipo de projetos para diversas editoras, totalizando cerca de 400 revistas até agora. Entre meus trabalhos favoritos estão a Mangá Booken, para a qual escrevi várias matérias e a história Bichinhos Fofinhos, e a Super Séries e seu posterior alter ego Séries, TV e Cinema, para as quais fui redator e diagramador. Também atuei como roteirista para o Erotika Studio Comics, que produzia a Mangá Sex, uma revista de quadrinhos hentai para a Editora Xanadu, que me proporcionou um ótimo exercício, além de me dar a oportunidade de abordar temas bastante específicos.

Em 1997 escrevi o roteiro de um curta metragem, Princesinha, tendo em mente minhas amigas Gabriela Werneck e Isabela de Castro, então estudantes de teatro e que já haviam me inspirado a criar Irmãs de Sangue. Ele foi rodado em outubro de 1998 tendo as meninas como atrizes e só foi finalizado quase um ano depois, em agosto de 1999, na mesma Disa Vídeo onde tive meu primeiro emprego. O filme foi um dos 10 finalistas do Festival Mix Brasil 99.

Em agosto de 1999 voltei à Estácio de Sá, desta vez no curso de cinema, que concluí em agosto de 2002 e onde realizei o curta de 1 minuto (quase finalizado) Proposta, rodado em 35mm.

Hoje continuo como designer gráfico em mídia impressa e agora também na web (este site é by me!). 

 

Veja também!

ENTREVISTA COM RICKY NOBRE NO BLOG LITERÁRIO "O PASTO DO BODE".

http://tinyurl.com/7jd8ryb